[oficina] O fotojornalismo por meio de suas controvérsias, com Gabi Di Bella, IMS Paulista, Quarta, 07. Agosto 2019

Professora: Gabi Di Bella 
[oficina O fotojornalismo por meio de suas controvérsias]

Como a aura de glamour em torno da figura do fotojornalista acabou levando a diversos enganos e até à criação de um fotógrafo fake, que conseguiu ludibriar veículos de mídia? Esta oficina propõe um olhar e uma análise da história do fotojornalismo a partir de um questionamento sobre a verdade na fotografia. Alinhado a isso, cada participante produzirá uma breve história/ensaio fotojornalístico.
Observação: Haverá uma saída fotográfica no sábado, 24 de agosto, das 14h30 às 17h.
Pré-requisitos: Os participantes devem ter um conhecimento fotográfico básico, dispor de uma câmera fotográfica ou de um celular que permita ajustes manuais e ter domínio técnico sobre o aparelho.
Materiais necessários: Os alunos serão estimulados a apresentar suas fotos em papel (tamanho 10 x 15 cm). As imagens poderão ser apresentadas digitalmente com projetor.

A oficina tem 6 encontros e será realizada às quartas, nos dias 7, 14, 21, 24 e 28 agosto e 4 de setembro das 19h00 às 21h30.
Só receberá certificado de participação o aluno que estiver presente em  pelo menos 5 encontros (a presença será computada em até 30 minutos depois do início da aula).

PROGRAMA
1) Fotografia: o início, uma criação que já tem sua autoria questionada. O imigrante francês Hercules Florence e a pesquisa de Boris Kossoy. Os primeiros documentaristas do meio urbano e os primeiros ensaios fotográficos para jornais e revistas.
2) As diferenças entre ensaio e pauta. Como funciona esse sistema dentro das redações e como é a produção da fotografia para a grande mídia O que diferencia os trabalhos fotográficos jornalísticos dos pessoais.
3) Os primeiros questionamentos. Fading Away, de Henry Peach. O fotojornalista como o herói aventureiro e desbravador do mundo desconhecido. O caso da foto do soldado morrendo na Guerra Civil Espanhola de Robert Capa e outros contos.
4) Saída fotográfica: criar duas histórias (uma verdadeira e outra falsa) com fotos, um ensaio e uma pauta.
5) Análise dos ensaios e pautas produzidos. Como a internet mudou o fluxo das redações e como isso afeta o mercado do fotojornalismo e o mercado da fotografia em geral.   
6) Como a fotografia pode mentir. Likes valem mais que o conteúdo? Casos modernos de fotógrafos e fotos históricas que sofreram releituras. A obra de Joan Fontcuberta. O caso do fotógrafo fake Edu Martins, que enganou diversos veículos de mídia.

PROFESSORA
Gabi Di Bella é fotojornalista. Iniciou sua carreira nos jornais de Porto Alegre, onde cobriu a Copa do Mundo e o desastre da Boate Kiss. Mudou-se para São Paulo em 2015, para trabalhar na Folha de . Atualmente faz mestrado, em que estuda o fenômedo das fake news, e atua como freelancer, desenvolvendo projetos pessoais e colaborando com veículos como National Geographic e The Intercept.

Perguntas frequentes
Há exigências de idade mínima para entrar no evento? Idade mínima de 16 anos.
Quais são minhas opções de transporte/estacionamento para chegar ao evento? 
Metrô: próximo às estações Consolação (Linha Verde) e Paulista (Linha Amarela).
Ônibus: pontos na rua da Consolação e na avenida Paulista, com várias opções de linhas.

Estacionamento: não há estacionamento no local, apenas vagas especiais para pessoas com deficiência.

Como posso entrar em contato com o organizador se tiver perguntas? Pelo email .
Qual é a política de reembolso? É permitido solicitar o reembolso integral até 7 dias antes da data de início do evento. 
Preciso levar meu ingresso impresso para o evento? Não é necessário levar o ingresso impresso, apenas um comprovante de identidade. 
Posso atualizar as informações da minha inscrição? A atualização de informações pode ser feita até 1 dia antes do início do curso.
Minha taxa de inscrição ou o ingresso podem ser transferidos? A transferência da matrícula pode ser feita até 1 dia antes do início do curso. Após o início do mesmo, não é possível fazer a transferência. 
O nome no meu ingresso ou na minha inscrição não coincide com o nome do participante. Há algum problema? Sim, é preciso que o nome da matrícula seja o mesmo de quem irá frequentar o curso. Caso tenha comprado o curso para outra pessoa, é possível fazer a transferência do mesmo até 1 dia antes do início do curso. 
Quem tem direito a meia-entrada? Estudantes, professores e maiores de 60 anos têm 50% de desconto em todos os cursos, mediante apresentação de documento comprobatório no dia do evento.

[oficina] O fotojornalismo por meio de suas controvérsias, com Gabi Di Bella

Encontrar mais eventos em torno de você
Obter recomendações de eventos com base em seu gosto Facebook. Obtê-lo agora!Mostre-me os eventos adequados para meAgora não